Quais desafios os gestores enfrentarão este ano?

Sete em cada dez compradores europeus de viagens corporativas preveem um aumento nos orçamentos de viagens este ano, com 16% esperando um crescimento significativo, porém muitos confessam que deverão enfrentar múltiplos desafios nos próximos 12 meses.

Os dados são de um recente estudo da Cvent feito com 500 tomadores de decisões em viagens corporativas na Europa. O levantamento constatou que os compradores alemães são os mais otimistas, prevendo um aumento significativo em seu orçamento para 2019. Somente 25% acreditam que a quantidade de recursos da empresa permanecerá a mesma; 44% dos entrevistados gerenciam gastos de mais de € 1 milhão.

Quase seis em dez (57%) dos entrevistados afirmam que o processo de terceirização ocorre uma vez por ano, mostrando que muitos compradores ainda estão focados na Solicitação de Proposta (RFP) anual.

Além disso, os compradores apontaram para os custos crescentes dos hotéis e a relação custo-benefício (ambos 44,5%) como os principais desafios que enfrentarão este ano, com os tomadores de decisão alemães especialmente preocupados com estes últimos (46,5%).

Quase seis em cada dez entrevistados do Reino Unido (59%) reforçam que a incerteza do Brexit é a sua principal preocupação. A saída do Reino Unido da União Europeia também está criando um desafio para compradores na Espanha (31,7%), Alemanha (30,7%), Itália (30%) e França (17,8%).

HOTÉIS

De acordo com a Cvent, a pesquisa destaca oportunidades claras para o setor de hospitalidade corporativa. Quando questionados sobre seus maiores desafios ao negociar com hotéis, mais de um quarto (26%) citou aumentos de tarifas acima da média da cidade ou de referência, seguidos por falta de transparência (17,4%) e licitações que não atendem aos requisitos estabelecidos na RFP (15,8%).

A falta de transparência foi o maior problema para 24% dos tomadores de decisão no Reino Unido. Enquanto isso, 13% em toda a Europa destacaram as respostas fracas, lentas ou incompletas dos hotéis e 11% disseram que os gerentes de Contas não estavam repassando as informações de sua empresa para os hotéis.

Ao escolher quais opções de hospedagem usar em seu programa, a localização está no topo da lista, com 69% dos entrevistados priorizando isso, seguido por taxas (59,7%), amenidades (53,6%), classificação por estrelas (30,8%) e programas de fidelidade (25,1%). 1%, por sua vez, afirma que eles não priorizam nenhuma característica específica, com os restantes 0,6% citando outros fatores.

“Este ano oferece uma tremenda oportunidade para que hotéis de todos os portes captem novos negócios, já que a grande maioria dos tomadores de decisões de viagens da Europa antecipa seu orçamento e procura reservar acomodação fora sua região. A fim de aproveitar essas oportunidades, os profissionais da área de hospitalidade precisarão abordar uma série de pontos-chave que os gestores de viagens corporativas enfrentam diariamente e analisar como eles podem melhorar os processos de fornecimento e negociação. Os hoteleiros que enfrentarem o desafio, souberam simplificar as tarefas e abordar a percepção de falta de transparência serão aqueles capazes de atrair e reter uma fatia maior da crescente oportunidade de viagens corporativas”, destaca gerente de Marketing da Cvent Hospitality Cloud para a Europa, Karla Pearce.

 

Fonte: Panrotas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *